Artigos e Variedades
Medicamentos - Lançamentos, estudos científicos, alertas, pesquisas.
FDA aprova 2ª fase para teste de uso da vacina BCG contra diabetes

FDA aprova 2ª fase para teste de uso da vacina BCG contra diabetes

Recentemente, sua equipe recebeu a autorização da FDA (Food and Drug Administration) para realizar testes em um grupo de diabéticos de longa duração com a BCG, antiga vacina contra a tuberculose que também poderia combater o diabetes tipo 1.

O teste de fase 2 da vacina Bacillus Calmette-Guérin (BCG) foi anunciado no mês passado( Junho 2017) em uma conferência da American Diabetes Association em Boston. A equipe de pesquisadores liderada pela Dra. Faustman já está recrutando cerca de 150 pacientes adultos para participar do teste, que começa ainda em 2017 e deve durar por cinco anos. A vacina BCG usada na fase 2 da pesquisa será produzida pelo governo japonês.

O BCG foi utilizado pela primeira vez como vacina contra a tuberculose e, mais recentemente, contra câncer de bexiga. A Dra. Faustman começou a experimentar a vacina no início dos anos 90. Ela estava interessada em como a BCG desencadeia o sistema imunológico para produzir uma proteína que mata as células T anormais que impedem a capacidade de produzir insulina no pâncreas.

Financiamento - O apoio do CEO da Chrysler, Lee Iacocca, foi fundamental para a continuidade da pesquisa. Depois de perder sua esposa por complicações do diabetes, a fundação de caridade de Iacocca começou a apoiar a pesquisa da Dra. Faustman e, em 1999, testes foram expandidos para ratos, com a promessa de financiamento contínuo.

"Nós curamos um rato diabético em fase tardia e vimos regeneração pancreática. Ninguém tinha visto isso antes", comenta a Dra. Faustman. Isso levou a um pequeno estudo de fase 1 em pessoas para ver se BCG poderia destruir as células T ruins e induzir as boas a produzir uma pequena quantidade de insulina. Essa fase foi bem sucedida, levando a esta próxima etapa: uma pesquisa mais longa em um número maior de pessoas que tiveram diabetes tipo 1 por anos.

A equipe de pesquisadores administrará, com quatro semanas de intervalo, duas injeções de BCG ou um placebo, além das injeções anuais nos quatro anos restantes. Os participantes da prova - de 18 a 60 anos - precisam ter níveis baixos, mas detectáveis, de secreção de insulina do pâncreas para se qualificarem para testes. Se o experimento for bem sucedido, o time da Dra. Faustman realizará uma terceira fase com um grupo maior de pessoas. ( Artigo Publicado pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia em 19 de junho de 2017)

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - Diabetesresearchconnection.org

Comente essa publicação