Artigos e Variedades
Mundo Sem Limites
Biomédico brasileiro faz parte do grupo de pesquisa do ganhador do Nobel de medicina 2018

Biomédico brasileiro faz parte do grupo de pesquisa do ganhador do Nobel de medicina 2018

No dia 01 de outubro, foram anunciados os ganhadores do prêmio Nobel de fisiologia ou medicina 2018. Segundo o biomédico prof. Antônio Neto, o biomédico brasileiro, Jorge Scutti, participa do grupo de pesquisa do ganhador americano, James P. Allison que trabalha com a proteína de linfócitos T, CTLA-4. Inclusive, Scutti tem coautoria em artigos com Allison.

O biomédico Jorge Scutti possui graduação em Biomedicina, Mestrado e Doutorado em Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo. Fez pós-doutorado no Hospital Israelita Albert Einstein com ênfase na avaliação do microambiente aterosclerótico e participação das proteínas BMP (Bone Morphogenetic Proteins) e postdoctoral Fellow no MD Anderson Cancer Center - Houston (Texas) no Departamento de Pediatria. com ênfase no desenvolvimento de estratégias terapêuticas baseadas em Imunoterapia para Glioma Pontino Difusamente Intrínseco (DIPG) utilizando células NK como efetoras e inibidores de histonas acetilases (HDACi).

Atualmente é Research Scientist do MD Anderson Cancer Center no Departamento de Imunologia o qual é responsável pela avaliação do perfil imunológico de pacientes submetidos a Clinical trials com inibidores de checkpoints (checkpoint inhibitors) tais como Ipilimumab e Nivolumab.

Como Scutti conheceu  Allison

Em entrevista ao blog Cadê a cura da Folha de São Paulo, Jorge Scutti conta como acabou trabalhando com Nobel de medicina de 2018.

Ele conta que por gostar de programas de TV como o desenho animado Laboratório de Dexter e Mundo de Beakman, sabia que seu destino era a ciência. Sendo assim, aos 18 anos começou a cursar biomedicina no interior de São Paulo e se apaixonou pela imunologia. Gostou tanto que fez mestrado e doutorado nessa área.

Depois de finalizar o doutorado, Scutti começou seu pós-doutorado no departamento de pediatria do MDAnderson Cancer Center em Houston, Texas, EUA. Após esse período, começou sua carreira como pesquisador da plataforma de imunoterapia do MD Anderson, liderada pelo agora laureado James Allison.

biomdico(1).png

Eu me encontrava com James Allison periodicamente em nossa reunião semanal. É um sujeito inteligentíssimo, cavalheiro e extremamente humilde, apesar do vasto conhecimento. Ele adorava que os pesquisadores trouxessem desafios, sentia-se bem ao ser estimulado intelectualmente. Foram três anos de muito aprendizado, de noites sem dormir, de viagens a congressos, de discussões longuíssimas Mas tudo valeu pena., afirma o biomédico ao blog Cadê a cura.

bruno(1).png

Brunno Câmara - Biomédico, CRBM-GO 5596, habilitado em patologia clínica e hematologia. Docente do Ensino Superior. Especialista em Hematologia e Hemoterapia pelo programa de Residência Multiprofissional do Hospital das Clínicas - UFG (HC-UFG). Meste em Biologia da Relação Parasito-Hospedeiro (área de concentração: virologia). Coordenador e docente do curso de pós-graduação em Hematologia e Hemoterapia da AGD Cursos. Criador e administrador do blog Biomedicina Padrão. Criador e integrante do podcast Biomedcast.

Bruno Câmara

Comente essa publicação